DestaquesNotícias

300 igrejas se unem à organização cristã para combater o Ebola, no Congo

Organização cristã World Relief gerencia o trabalho junto aos líderes, que ajudam e orientam as congregações a identificarem os casos.

Com a ajuda da organização cristã sem fins lucrativos World Relief, 300 igrejas se uniram para combater o surto causado pelo vírus Ebola na República Democrática do Congo.

O diretor de ajuda humanitária e resposta a desastres da World Relief, Charles Franzen, disse em entrevista ao Christian Post que o trabalho conjunto no Congo é para conscientizar sobre o perigo do vírus altamente infeccioso.

“Através de sermões e treinamento com conselhos de liderança e comitês nas igrejas, as mensagens sobre o Ebola estão sendo espalhadas pelas congregações”, explicou Franzen.

As igrejas estão localizadas em Kivu do Norte, no território de Djugu e na província de Ituri, onde a situação é pior.

Franzen disse que quase 1.800 pessoas morreram na área que tem mais de 2.500 infectados.

“O principal problema em parar a doença é que a equipe médica precisa ser capaz de rastrear cada contato que uma pessoa infectada teve durante o período infeccioso”, disse ele.

As pessoas que estiveram em contato com a doença são colocadas em quarentena até que o perigo termine ou elas comecem a apresentar sintomas, e nesse caso elas são tratadas.

Mas o difícil não é só encontrar todas essas pessoas, as equipes de ajuda humanitária também enfrentam interrupções entre facções e tribos na região.

“Não é fácil para nós rastrear todos os contatos conhecidos de uma pessoa infectada ‘por trás das linhas’, por assim dizer, porque o perigo de se tornar uma vítima é muito grande”, explicou Franzen.

Muitos médicos foram espancados e outros foram mortos. Alguns centros de Ebola foram saqueados e destruídos por pessoas locais que acreditam que o vírus é uma invenção do Ocidente, e que tudo isso é apenas falsidade que está sendo usada e perpetuada por pessoas inescrupulosas para ganhar dinheiro com as potências ocidentais e ONGs”, disse o diretor da World Relief.

Surto desenfreado

O surto de Ebola tornou-se desenfreado na República Democrática do Congo, com a declaração de epidemia feita pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o que se tornou uma emergência de saúde pública oficial de preocupação internacional.

Em um comunicado de imprensa, o Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor geral da OMS, disse: “É hora de o mundo tomar conhecimento e redobrar nossos esforços. Precisamos trabalhar juntos em solidariedade com a RDC para acabar com este surto e construir um sistema de saúde melhor”.

A Samaritan’s Purse também aumentou a ajuda para a RDC, estabelecendo um centro de tratamento com 18 leitos em Komanda, na parte nordeste do país.

O centro foi levado para a África por avião de carga e mais de 40 funcionários médicos e não médicos operam dentro dele. Mais de 60 funcionários congoleses também ajudam.

“Quando vejo meus colegas congoleses sofrendo de Ebola, fico triste, mas me desafia a ajudá-los a se recuperar e a serem fortes um dia”, disse Sarah Ngaka, uma das autoridades locais.

Franzen incentivou as igrejas de fora do país a apoiar organizações sem fins lucrativos como a World Relief e a Samaritan’s Purse.

“Uma das melhores maneiras de a igreja combater o Ebola na República Democrática do Congo é fornecer assistência àqueles que estão prestando assistência e tratamento, como a World Relief”, declarou Franzen.

Ele disse que a entidade “está trabalhando duro na defesa e conscientização da doença, combatendo boatos, treinando [voluntários] para atender casos primários e ajudar na gestão.

Franzen explicou que as igrejas que participam devem ter estações de lavagem das mãos e a liderança precisa estar empenhada em obter informações sobre o Ebola, “para ajudar à identificação e resposta pelas congregações”.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN HEADLINES

Comentários

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios