ColunasDestaques

Artigo – Superando tempos difíceis – Eraldo Vasconcelos de Souza

Hoje estamos enfrentando três guerras às quais nos atingem sem piedade: a guerra do coronavírus, a guerra da economia e a guerra política

Por Eraldo Vasconcelos de Souza
Economista – Corretor de Imóveis – Consultor em Gestão Empresarial

A crise está chegando! Vamos parar tudo, esperar para ver o que vai acontecer cortando gastos, não comprando nada, fechando as portas da empresa e apenas ficar olhando as notícias que chegam pelos mais variados meios de comunicação, todas cheias de sensacionalismo.

É dessa forma que muita gente age, simplesmente fica extasiada, esperando que alguém ou alguma coisa aconteça e que venha melhorar o seu quadro atual. Você acredita mesmo que essa atitude vai ajudar na solução dos seus problemas ou da sua empresa, quem sabe do município ou país?

Vivemos uma crise jamais vivenciada antes, não é uma crise econômica como tivemos no passado, muito pelo contrário, estávamos aos poucos vendo a nossa economia andar para frente, gerando empregos e renda, tudo se encaminhava para um dos melhores anos dos últimos tempos até que o inesperado chegou, algo que não conhecíamos e por isso ficamos num primeiro momento sem reação, logo entendemos que as nossas vidas era o que tínhamos de nos preocupar, fugir do vírus, se enclausurar, parar tudo o que estávamos fazendo e ficar quietinho esperando que ele fosse embora, uma sábia decisão segundo os especialistas no assunto, mas essa decisão cobrou um preço muito alto as pessoas, empresas e governos, parar uma economia é tirar das pessoas a capacidade de poder cumprir necessidades básicas como: alimentar-se, vestir-se ou de moradia, mais ainda, as empresas fechadas foram obrigadas a pensar na redução dos seus custos para manterem-se vivas, principalmente porque enfrentamos um longo período de tempos de vacas magras, péssimos resultados.

Hoje estamos enfrentando três guerras às quais nos atingem sem piedade: a guerra do coronavírus, a guerra da economia e a guerra política todas juntas nos desorientam e talvez seja isso que alguns queiram nesse momento, visando tirar vantagem à custa do povo, mas todos irão perder muito, inclusive as esferas públicas, pois a arrecadação vai cair vertiginosamente, na mesma velocidade da propagação do vírus e vai atingir o funcionalismo com atrasos de salários e o custeio da máquina pública em áreas essenciais como saúde, segurança e educação.

O que devemos fazer é a pergunta, posso afirmar que nestes momentos o desespero pode nos levar a cometer mais erros do que acertos, erros que podem ser fatais se as decisões forem erradas, afetando as nossas vidas e a dos demais agentes econômicos, como empresas privadas e organizações públicas.

A palavra crise em chinês é composta por dois caracteres, um representa perigo e o outro representa oportunidade, se você pegar a palavra CRISE e tirar a letra “S”, verá que seu significado passa a ser CRIE, pois bem, é exatamente o que devemos fazer neste momento, vamos aproveitar para repensar tudo o que estamos fazendo, como estamos fazendo e por que fazemos expurgando aquilo que não gera resultados: financeiro, profissional e principalmente de realização pessoal.
Vamos aproveitar este momento para um recomeço olhando para o futuro e pensando como pode preparar-se para outras situações dessas que com certeza irão surgir.

Quem saber voltar a estudar, se capacitar mais e mais, começar a poupar um pouquinho para que em momentos difíceis tenhamos uma reserva para sobreviver, quem saber reduzir gastos com coisas desnecessárias como roupas, carros, até mesmo na alimentação excluindo itens que fazem mal a saúde, quem sabe aproveita esse momento para parar de fumar, reduzir a bebida, quem sabe andar menos de carro nos finais de semana. Posso afirmar que sempre temos onde economizar, mesmo que seja bem pouquinho, mas no final de um ano isso pode fazer a diferença.

Nesses tempos difíceis não se deixe levar pelo emocional com providências sem planejamento ou embasamento em fatos que não levarão a nada. Não confie em tudo o que ouve ou lê, cuidado com os pregadores do caos, se você for empresário, tente conversar com outros empresários, pessoas em que você confia e sabe que têm a devida competência e podem quem sabe ajudar a você tomar decisões sabias.

Em tempos de crise as pessoas acabam se agarrando a chavões antigos e frases feitas que nem sempre correspondem à melhor estratégia para sua empresa enfrentar a turbulência. Pare, pense, olhe, estude, planeje e aja com segurança. Vamos olhar pelo ponto positivo, o vírus vai ter seu fim, é um ciclo, a economia vai se recuperar com o nosso esforço e inteligência e na política o povo precisa fazer a sua parte cobrando gestões responsáveis de seus governantes em todas as esferas.

Acredito no Brasil, pela força do brasileiro pela nossa capacidade de recuperação e pelo bom humor, levantando a cabeça e vendo as oportunidades que irão surgir, retomaremos o nosso ritmo de crescimento econômico e principalmente social, gerando oportunidade para os milhares de brasileiros que hoje buscam um trabalho digno.

 

Comentários

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Fechar
Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios