DestaquesNotícias

Ateus retiram placa dos Dez Mandamentos exibida em escola há 92 anos

Uma escola de ensino médio de Ohio removeu uma placa dos Dez Mandamentos da década de 1920, após reclamações de uma organização ateísta.

A placa na Welty Middle School em New Philadelphia, Ohio, nos EUA, foi um presente da Classe de 1926 para o distrito escolar em 1972 e esteve em exibição por 92 anos até que a organização ateísta Freedom From Religion Foundation (FFRF), de Wisconsin, se envolveu.

A organização, em uma carta de abril ao distrito, chamou a placa de “violação fragrante da cláusula de estabelecimento da Primeira Emenda”.

“A promoção da Bíblia e da religião judaico-cristã sobre a não-religião do distrito transforma inadmissivelmente qualquer estudante não-cristão em um estranho”, dizia a carta.

“As crianças em idade escolar já sentem uma pressão significativa para se adequarem aos seus pares. Eles não devem ser submetidos a pressões semelhantes de suas escolas, especialmente em questões religiosas ”.

Brian J. DeSantis, um advogado representando o distrito escolar, disse que a placa havia sido removida. Mas isso não significa que o distrito concorde com a Freedom From Religion Foundation.

“Com mais de 90 anos em exposição, a placa é reconhecida como parte da tradição e da história das escolas da Nova Filadélfia”, disse em comunicado o superintendente das New Philadelphia Schools, David Brand, segundo o jornal Times Reporter .

Embora a placa seja uma peça histórica e bem estabelecida da história da New Philadelphia City Schools, as leis dos Estados Unidos são bastante claras em relação à exibição dos Dez Mandamentos em um ambiente escolar.

Para preservar a placa, o Distrito precisaria derrubar uma decisão da Suprema Corte dos EUA a partir de 1980. Além disso, o Distrito precisaria se tornar a primeira escola pública a defender com sucesso uma exposição dos Dez Mandamentos em um ambiente escolar.

“Apesar das ofertas de profissionais jurídicos locais para ajudar o distrito, os ‘custos’ da defesa são substanciais”, escreveu Brand.

A placa pode ser doada para preservar sua história, disse Brand. E embora o distrito não lute contra essa batalha no tribunal, pode apresentar um documento de amicus curiae em um caso similar em outro lugar, indicou ele.

“Em vez de envolver a FFRF em uma ação em que os recursos da comunidade estão em jogo, o Distrito considerará a apresentação de um breve resumo em um caso futuro sobre o assunto”, escreveu Brand.

Folha Gospel com informações de Christian Headlines

Comentários

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios