DestaquesNotícias

Boa notícia: Egito legaliza 127 igrejas em aprovação surpreendente

O país está atualmente no número 16 da lista mundial dos ambientes mais severos da Terra para se viver como um seguidor de Jesus

Um comitê criado pelo governo egípcio aprovou a legalização de 127 igrejas que anteriormente estavam sendo executadas em uma capacidade ilegal.

Uma lei aprovada em 2016 esperava acelerar o processo de legalização, com milhares de igrejas sendo construídas sem permissão e operando com medo de represálias do governo.

Antes da aprovação da lei, era notoriamente difícil aprovar a aprovação do estado e, portanto, as congregações poderiam se encontrar em risco de serem processadas.

Desde que a lei foi aprovada, cerca de 1.021 receberam permissão do comitê, de acordo com a International Christian Concern.

Embora o comitê ainda tenha muitas igrejas para legalizar, este é um começo promissor para um país em que os cristãos coptas enfrentam níveis ferozes de violência e perseguição há décadas.

De acordo com a ONG Portas Abertas dos EUA, os cristãos do país ainda enfrentam a perseguição diária de grupos dentro da população de maioria islâmica, bem como os maus-tratos do próprio governo.

A cultura islâmica “alimenta a discriminação e cria um ambiente que faz com que o Estado relute em respeitar e fazer valer os direitos fundamentais dos cristãos”, explica o Open Doors em sua página de fatos sobre o Egito.

O país está atualmente no número 16 da World Watch List – um ranking dos ambientes mais severos da Terra para se viver como um seguidor de Jesus.

O país está atualmente no número 16 da lista mundial dos ambientes mais severos da Terra para se viver como um seguidor de Jesus

Um comitê criado pelo governo egípcio aprovou a legalização de 127 igrejas que anteriormente estavam sendo executadas em uma capacidade ilegal.

Uma lei aprovada em 2016 esperava acelerar o processo de legalização, com milhares de igrejas sendo construídas sem permissão e operando com medo de represálias do governo.

Antes da aprovação da lei, era notoriamente difícil aprovar a aprovação do estado e, portanto, as congregações poderiam se encontrar em risco de serem processadas.

Desde que a lei foi aprovada, cerca de 1.021 receberam permissão do comitê, de acordo com a International Christian Concern.

Embora o comitê ainda tenha muitas igrejas para legalizar, este é um começo promissor para um país em que os cristãos coptas enfrentam níveis ferozes de violência e perseguição há décadas.

De acordo com a ONG Portas Abertas dos EUA, os cristãos do país ainda enfrentam a perseguição diária de grupos dentro da população de maioria islâmica, bem como os maus-tratos do próprio governo.

A cultura islâmica “alimenta a discriminação e cria um ambiente que faz com que o Estado relute em respeitar e fazer valer os direitos fundamentais dos cristãos”, explica o Open Doors em sua página de fatos sobre o Egito.

O país está atualmente no número 16 da World Watch List – um ranking dos ambientes mais severos da Terra para se viver como um seguidor de Jesus.

Por JM Notícia

Comentários

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Fechar
Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios