ColunasDestaques

Envenenamento Virtual

Por Eraldo Vasconcelos de Souza

Estamos assistindo uma forma de envenenamento que jamais imaginei que fosse tão letal, falo
do envenenamento virtual, pessoas que não tinha qualquer tipo de doença e agora estão infectadas
por esse tipo de vírus, que se espalha num clique de computador ou celular gerando discórdia, ódio e
brigas intermináveis, levando a inimizade, muitas dessas entre pessoas que eram amigas ou até
mesmo dentro da família.

Esse tipo de doença vem normalmente por equipamentos eletrônicos como computadores ou
celulares, mas também se apresenta através de notícias de Jornais ou TV, sempre de forma muito
agressiva atacando diretamente o estado emocional de forma brutal, gerando no infectado uma
sensação medo, tristeza e falta de esperança na vida.

Essa doença cria uma animosidade jamais vista na sociedade, no lugar das brigas físicas de
outrora agora elas são virtuais com tamanha intensidade capaz de ferir mais do que as velhas brigas,
nessas da atualidade é possível muita gente brigar ao mesmo tempo, basta que alguém poste algo
controverso para que comece uma briga virtual, com ofensas, palavrões de baixo calão, mostrando o
quanto temos pessoas infectadas, doentes e precisando de ajuda.

Não tenho costume de entrar em discussões de redes sociais, nunca vi alguém ganhar, sempre
acaba perdendo, aliás, numa briga nunca ninguém ganha, porque o certo ou o errado vai depender do
ponto de vista de quem escreve e de quem lê, ainda mais se o assunto for futebol, religião ou política e
nesses temas, esqueça, nunca conseguirá unanimidade o que vai conseguir é inimizades e falta de paz
de espírito.

Quer um remédio: Não comente e nem discuta com ninguém por rede social, deixe que fique
falando sozinho, não coloque gasolina no fogo, você vai acabar se queimando, desligue a TV, não olhe
Jornal, você apenas vai receber muita energia negativa, se precisar de informações, seja seletivo.
Nesse momento precisamos de calma e paz interna para que tenhamos tranquilidade emocional
necessária para sobreviver e ainda ajudar outras pessoas.

Não perca seu precioso tempo nem gaste energia com coisas que você não pode mudar, seja
mais compreensivo, respeite as opiniões, mesmo que não compactue, toque a sua vida, ame
mais as pessoas no lugar de levar o ódio e a discórdia.

Eraldo Vasconcelos de Souza
Economista – Empresário – Corretor de Imóveis – Consultor em Gestão
Empresarial

Comentários

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios