DestaquesMúsica

O enorme amor de Deus preencheu o vazio do meu coração, diz Bono Vox

O melhor amigo de Bono conta como o astro do rock do U2 chegou à fé em Jesus Cristo.

O artista plástico irlandês Derek Rowen, mais conhecido como Guggi, recentemente contou sua infância com o melhor amigo, o vocalista do U2, Bono Vox, compartilhando como o popular rockstar chegou à sua fé em Jesus Cristo.

Guggi e Bono são amigos desde os anos 1970, porque cresceram no mesmo bairro em Finglas, no norte de Dublin. Cinquenta anos depois, o artista plástico e Bono ainda são melhores amigos.

Em entrevista ao Religion News Service, Guggi conta que ele e Bono eram diferentes das outras crianças da rua.

“Não sabíamos o que dizer quando queriam que nomeássemos nossos jogadores de futebol favoritos porque não conhecíamos nenhum nome. Poderíamos ser espancados por apoiar a equipe errada ou não apoiar ninguém”, lembra Guggi.

Anos mais tarde, os dois amigos encontraram um interesse comum em desenvolver sua fé cristã – algo que o pai de Guggi, Robbie Rowen, ajudou a encorajar os meninos a seguirem. O pai de Bono, Bob, era católico e sua mãe, Iris, era protestante, e Bono e seu irmão foram criados na Igreja da Irlanda, uma igreja episcopal.

Protestante

A fé de Guggi era ainda mais rara na República da Irlanda predominantemente católica, e nasceu em uma família protestante. Ele é o segundo mais velho de 10 crianças (sete meninos e três meninas).

Guggi educou seus filhos em uma das igrejas batistas de Dublin. “Aconteceu de ser uma igreja batista – não estou interessada em nomes de marcas, só queria a mensagem como está nos Evangelhos”, disse ele.

Ele conta que sua fé se firmou com seu pai que era muito religioso, e isso também foi passado para Bono.

“Bono veio à sua fé através do meu pai”, disse Guggi à RNS.

O vocalista do U2 perdeu sua mãe aos 14 anos e depois disso ele começou a passar muito tempo na casa de seu amigo Guggi. Os dois começaram a participar de um acampamento bíblico todos os anos.

Nos últimos anos, Bono Vox tem compartilhado abertamente sua fé. Em uma série de vídeos de 2017 com David Taylor, um professor de teologia e cultura no Fuller Theological Seminary em Pasadena, Califórnia, o cantor falou sobre esses tenros anos após a morte de sua mãe.

“Eu me tornei um artista através do portal da dor”, Bono disse na entrevista. “Minha mãe morreu no túmulo de seu pai. Enquanto ele estava sendo abaixado no chão, ela tinha um aneurisma. Eu tinha 14 anos.”

Vazio no coração

Bono conta que começou sua jornada artística para preencher um vazio que tinha no coração “com música, com meus amigos, meus companheiros de banda”.

O cantor conta que esse vazio foi preenchido com “o amor de Deus, que é um grande amor”.

Durante um segmento do programa “Today” em maio, Bono também aproveitou a oportunidade para compartilhar a literatura cristã que ele e sua família leram.

Ele disse que leu As Crônicas de Nárnia e livros convencionais para seus filhos, mas a Bíblia “A Mensagem” com tradução de Eugene Peterson está no topo da lista.

Quando os amigos de longa data falam, os assuntos espirituais surgem.

“Sou crente, 100%”, insiste Guggi quando conversamos surgem os assuntos sobre a fé. “Eu não sou um bom exemplo de um, mas você está dentro ou está fora.”

Bono, cujas letras são carregadas de imagens espirituais e bíblicas e que nos últimos anos tem sido bastante aberto sobre sua fé cristã, disse: “Eu não sou uma boa propaganda para Deus”.

No álbum talvez mais autobiográfico do U2 até hoje, “Songs of Innocence” de 2014, Bono dedicou uma música a Guggi chamada “Cedarwood Road”.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios