DestaquesMissõesNotíciasNotícias Gospel

Pastor forçado a assinar que vai parar de adorar na Índia

A equipe jurídica da Alliance Defending Freedom India interveio e providenciou a libertação de Kumar sem acusações

A polícia no norte da Índia disse a um pastor para parar de adorar dentro de sua casa e o forçou a assinar um documento garantindo que não o faria novamente.

O Morning Star News relata que em 25 de agosto, um grupo de hindus bêbados gritou comentários desrespeitosos sobre o cristianismo na frente da casa do pastor Sugriv na aldeia Tarkulwa, distrito de Maharajganj.

 

O filho do pastor, Pawan Kumar, 19, veio falar com os hindus e pediu que parassem de fazer comentários rudes.

Na manhã seguinte, o pastor Sugriv disse ao presidente da vila sobre o incidente e os hindus foram advertidos para não assediar o pastor novamente. No entanto, eles voltaram naquela noite e gritaram mais blasfêmias para o pastor e seu filho.

“Não tivemos escolha a não ser informar a polícia”, disse o pastor. “Não é seguro para nós que esses bêbados venham a hora que querem e comecem a lutar contra nós, gritando a plenos pulmões. Temos mulheres em nossa casa e foi além do que podíamos tolerar.”

Então, dois policiais foram à sua casa em 29 de agosto e pediram a Kumar que mostrasse onde os hindus moravam.

“Achamos que eles vieram para tomar medidas contra eles para nossa segurança e permitiram que nosso filho os acompanhasse”, explicou o pastor Sugriv.

Mas a polícia prendeu Kumar e acusou-o falsamente de assediar uma jovem em sua aldeia.

O pastor implorou à polícia que libertasse seu filho, mas não conseguiu persuadi-los. Ele disse que foi difícil deixar seu filho na prisão, mas ele encontrou esperança em Deus.

“Eu confiei meu filho nas mãos de meu Senhor e deixei a delegacia naquela meia-noite depois que o oficial se aposentou de suas funções”, disse o pastor Sugriv. “Deus me deu forças naquele momento para estar preparado para o pior.”

A equipe jurídica da  Alliance Defending Freedom India  interveio e providenciou a libertação de Kumar sem acusações.

Mas antes de Kumar ser libertado, os policiais forçaram o pastor Sugriv a assinar um documento prometendo que sua família pararia de adorar e orar dentro de sua casa ou de discutir as boas novas de Jesus com qualquer pessoa.

O pastor disse ao Morning Star News que estava pasmo com a ordem, dizendo: “Não temos a liberdade de orar mesmo dentro das quatro paredes de nossa casa?”

“Oficiais da delegacia de Shyam Deurwa se juntaram aos agressores e nos obrigaram a assinar um documento prometendo que nunca oraríamos em nossa casa e que não compartilharíamos o evangelho com ninguém”, disse o pastor Sugriv. “Eles me forçaram a assiná-lo. Que tipo de justiça é essa?”

O inspetor de polícia Singh disse que o documento assinado pelo pastor Sugriv não viola as liberdades religiosas da Índia e apenas proíbe a conversão fraudulenta.

“Os aldeões se opuseram a eles, uma vez que espalharam o cristianismo na área, então eles apenas pegaram suas assinaturas em um documento prometendo que não converteriam à força ou atrairiam alguém para se converter”, disse ele Singh para Morning Star News.

A Índia ocupa o décimo lugar na  lista  de  Portas Abertas de 2020 de monitoramento global  de países onde os cristãos sofrem a maior perseguição.

(Com CBN – Link original)

Comentários

Tags

Artigos relacionados

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios